NOTÍCIA

06/01/2016 11:56

“Devemos nos preparar para mais um ano difícil”, afirma Eduardo Amorim

O senador Eduardo Amorim (PSC) participou, na manhã desta quarta-feira, 6, do programa Linha Direta, comandado pelo radialista Jairo Alves, na Rádio Cultura AM 670. Durante a entrevista, o parlamentar falou sobre a situação política do País e a péssima gestão do Governo do Estado de Sergipe. O senador Eduardo também fez um balanço de suas atividades em 2015 e expectativas para 2016.

O parlamentar sergipano lembrou que suas emendas ajudaram diversos hospitais em Sergipe. “Destinamos verbas para o Hospital São José, maternidade em Itabaiana, hospital de Riachuelo, além de outras unidades. Estamos preocupados com a saúde em todo o Estado”, afirmou Eduardo.

Sobre a sua atuação no Senado e receptividade aos prefeitos sergipanos em Brasília, Eduardo Amorim garantiu que recebe todos sem distinção partidária. “Nosso gabinete está de portas abertas para todos. Recentemente, estive em Tobias Barreto para assinatura de ordem de serviço de obras através de nossas emendas e o prefeito de lá é do PT e temos uma excelente relacionamento”, lembrou o senador.

Com relação ao Hospital de Câncer de Sergipe, o parlamentar lembrou ainda que já encaminhou a sexta emenda para a obra. “Ano passado destinamos mais uma emenda. O hospital está orçado em 80 milhões de reais, mas já encaminhamos mais de R$ 160 milhões. Ou seja, daria para construir dois hospitais. É um verdadeiro descaso por parte do Governo do Estado”, disse Eduardo.

Ele lembrou ainda sobre o dinheiro do Proinveste. “Pegaram mais de 560 milhões de reais emprestados. E cadê o dinheiro? Cadê o novo IML? Cadê a rodovia Itaporanga-Itabaiana? Cadê a rodovia Pacatuba-Pirambu? Infelizmente, pegaram o empréstimo e as obras ou não existem ou estão paradas”, garantiu o senador Eduardo.

Perspectivas

Sobre a situação do País e de Sergipe para 2016, o senador disse que vê com preocupação o cenário para este ano. “Devemos nos preparar para mais um ano difícil. Vivemos agora o pior governo da História de Sergipe. Crise na Saúde, na Segurança, servidores recebendo salários atrasados. Não vejo muitas mudanças no rumo da política em Brasília. Então, é bom que o sergipano se prepare pelo que vem pela frente”, afirmou Eduardo.

NOTÍCIAS RELACIONADAS

COMENTÁRIOS