NOTÍCIA

10/03/2016 16:44

Eduardo Amorim: “É preciso atenção aos mais de 100 mil brasileiros que fazem hemodiálise”

O Senado Federal realizou na manhã da quinta-feira, 10, a Sessão Especial em homenagem ao Dia Mundial do Rim. O senador Eduardo Amorim (PSC-SE), que foi o autor do pedido, ampliou os debates sobre os problemas enfrentados pela diálise no Brasil.  Segundo ele, essa é uma maneira de chamar a atenção para as doenças que afetam o órgão, já que o número de pacientes aumentou 300% nos últimos 15 anos e o número de clínicas teve uma alta de apenas 34%.

Ao fazer a abertura da Solenidade Especial Eduardo destacou que os doentes não têm mais a mesma vitalidade, a mesma disposição; adoecem com mais frequência e, via de regra, têm suas vidas abreviadas. “Nos últimos 15 anos, 76 clínicas de diálise fecharam ou pediram descredenciamento do SUS e somente 7% dos municípios brasileiros têm clínicas de diálise. Essa solenidade é também um pedido de socorro”, disse o senador.

Para a presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), Carmen Tzanno Branco Martins, a solenidade foi uma oportunidade para a concretização de dois objetivos, que é conscientizar e informar sobre a importância da prevenção e do impacto da doença renal crônica no País e solicitar ajuda para uma crise econômica junto as clínicas. “Algumas delas estão em insolvência e os proprietários encaram valores de reembolso da diálise peritoneal defasados”, explicou Tzanno.

O presidente da Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante (ABCDT), Hélio Vida Cassi, a divulgação é uma aliada na prevenção da doença renal. “A divulgação é fundamental, para que as pessoas tomem consciência e tomem determinadas atitudes que façam com que, ou a doença seja estagnada ou curada”, explicou ao reclamar a falta de uma política de prevenção adequada.

O professor da área de nefrologia, chefe do Serviço de Transplante Renal da Escola de Medicina da Universidade Federal de São Paulo, onde implantou o maior programa de transplante do país, José Osmar Medina Pestana, afirmou que a Solenidade é uma maneira de manter as conquistas do setor. "Estamos comemorando o Dia Mundial do Rim e deveríamos estar promovendo ações para evitar que as pessoas chegassem à necessidade de uma diálise ou de um transplante. Mas a preocupação ainda é como manter o que conquistamos", disse Medina.

Em defesa da Nefrologia

O reajuste do valor das sessões de hemodiálise, a aprovação de uma Proposta de Emenda à Constituição que aumente os investimentos obrigatórios da União na saúde, a adoção de hábitos saudáveis e prática de atividade física foram os reclames e recomendações dos parlamentares participantes. Fizeram-se presentes os senadores Ana Amélia (PP-RS), Dalirio Beber (PSDB-SC), Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN) José Medeiros (PPS-MT), Regina de Sousa (PT-PI), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e deputados federais André Moura (PSC-SE), Carmen Zanotto (PPS-SC) e Vinicius Rapozo (PRB-SP) todos fizeram uso da palavra.

Presenças

Estiveram presentes o presidente da Federação Nacional das Associações de Pacientes Renais e Transplantados do Brasil, Renato Padilha, o presidente da Associação Brasileira dos Centros de Diálise e Transplante (ABCDT), Hélio Cassi, o representante da Associação Nacional para Defesa da Cidadania, Meio Ambiente e Associação Nacional para Promoção da Saúde, Educação, José Aluízio Lima, a presidente da Sociedade Brasileira de Nefrologia, Carmen Tzanno e a presidente da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Nefrologia, Antônia Graça.

 

 

 

 

NOTÍCIAS RELACIONADAS

COMENTÁRIOS